Prazer, me chamo amor.

Em 31 de agosto de 2013
Hoje é quarta feira, um dia normal como todos os outros dias normais. Levantei, abri a janela e senti a brisa gelada de todas as manhãs. Fiquei ali durante alguns minutos olhando o horizonte e pensando na cafeteria da esquina. Não costumo ir sempre lá, só quando acordo com aquela preguiça de meio de semana. Tomei banho, me arrumei e fui caminhando até o local. Pedi um expresso enquanto folheava o jornal. Nada de mais, apenas velhas notícias que costumamos ver todos os dias.

A porta da cafeteria fez um barulhinho, as lojas daqui costumam ter sinos na entrada e eles sempre tocam quando alguém entra. Uma mulher não muito alta, cabelos ruivos e cheia de sardas entrou, pediu um café Vienna e sentou não muito distante de onde eu estava, ela olhava para a janela enquanto balançava as pernas, parecia atrasada. Continuei tomando o meu expresso e desviei o olhar para a garçonete que preparava o pedido dela. Notei que além do café havia um croissant, ela parece ser uma mulher de gosto refinado. Voltei para o meu café e fiquei mexendo no chantilly, não sei por que estava reparando a moça de cabelos ruivos, geralmente eu só tomo o meu café e vou embora. Mas dessa vez eu queria apreciar mais o momento. Ela se levantou, acho que realmente estava atrasada, pois tomou o seu café muito rápido, pegou o casaco e saiu em disparado pela porta que novamente fez aquele barulhinho do sino. Eu fiquei olhando enquanto abria a porta do carro e se distanciava cada vez mais. Logo em seguida terminei o meu café, voltei para o apartamento que ainda continuava um pouco frio.

Na manhã seguinte acordei e fiz as mesmas coisas da manhã anterior, caminhei até a cafeteria da esquina, pedi um expresso acompanhado de dois pães de queijo e me sentei no mesmo lugar. Fiquei pensando se a moça ruiva apareceria neste dia, e foi ai que me dei conta de que estava indo a cafeteria pelas manhãs apenas para vê-la. Por que estava fazendo aquilo? O sino da porta toca novamente, mas não é ela que entra pela porta, uma senhorinha de uns setenta e poucos anos acompanhada de um garoto que parecia ser o seu neto, os dois sentaram a mesa e chamaram a garçonete. Alguns minutos depois mais um barulho e meus olhos acompanham a ruiva que desta vez pede um expresso também. Desta vez ela não parece apressada, mas tinha um jeito  de quem não queria ninguém por perto, nem mesmo um bom dia.

Continuei tomando o meu café, ela viu que estava olhando e deu um sorriso. Acho que eu estava errado. Sorri de volta e continuei tomando o meu café. Nos outros cinco dias foram assim, eu sempre tomava café na cafeteria da esquina e a ruiva sempre aparecia por lá no mesmo horário. Mas a partir do sexto dia ela começou a sentar comigo, conversávamos sobre a vida dela, o que ela fazia e quais eram suas músicas preferidas, ela gostava de caminhar no parque aos domingos e de tomar sorvete enquanto assistia filmes. Ela parecia feliz enquanto ríamos dos micos que ela dissera cometer sempre. Ela tinha um sorriso lindo, os olhos dela ficavam fechadinhos enquanto ela sorria, parecia que dormia enquanto gargalhava. Depois cada um ia para o seu canto, e na manhã seguinte nos reencontrávamos.

Aconteceu tudo de uma forma simples, tão simples que não nos lembrávamos de como começamos a conversar, dizem que as melhores histórias começam assim, do nada. A nossa começou do nada. Continuamos nos encontrando durante os nove dias seguintes, eu sabia tudo sobre a vida dela, mas ela não sabia muito da minha. Só sabia que eu fazia bem as pessoas, arrancava sorrisos como os dela, mas que muitas vezes eu destruía corações. Comecei a perceber que ela estava se entregando aos poucos, e eu gostava disto. Na manhã do décimo primeiro dia ela  perguntou como eu me chamava, naquele momento percebi que eu também não sabia qual era o seu nome, mas sabia que ela era a pessoa certa para dizer como eu me chamava.

Levantei, peguei sua mão e lhe disse:

- Prazer, me chamo amor.  




Acompanhe o blog também em: Facebook || Twitter || Instagram


20 vagalumes cegos:

  1. adooooooooorei o textoo!lindo!
    poderia me ajudar a curtir? https://www.facebook.com/boutiquecharlotte
    beeijos <3

    ResponderExcluir
  2. Nossa que texto lindo *0*' gostei bastante.
    http://sabrinafeli.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Aiin, que textooo perfeitooo! Ameei, Giovanna, você escreve muito bem, parabéns! Seu blog é perfeito, já estou a seguir e curti sua fan page também.
    Ficaria muito feliz se pudesse retribuir! Muito obrigada!
    Bisous,
    BLOG : www.pequenomuffin.com
    FAN PAGE : www.facebook.com/pequenomuffin

    ResponderExcluir
  4. Que texto lindo, Giovanna! Parabéns! *-*
    Alipas, parabéns duplamente! Haha Você foi a escolhida lá no "Agradinho do Mês" lá no blog, já viu?
    http://www.vestidodebolinhas.com/2013/08/agradinho-do-mes-resultado.html

    Por favor, mande seu endereço para: blog.vestidodebolinhas@gmail.com
    Beijinhos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaah que vii *-* estou ansiosa para receber a surpresinha =3

      Excluir
  5. Que lindoooo!!
    Amei! Está de parabéns! o/

    Beijos
    www.batomdeframboesa.com

    ResponderExcluir
  6. Muito lindo texto, você escreveu de uma forma tão leve que eu li em um pulo tudinho sem desviar a atenção nem por um segundo! ^^ A música tambem foi muito bem escolhida, parabéns.

    isabelefarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Simplesmente lindo. Você tem uma escrita muito envolvente, precisei me permitir ler duas vezes antes fazer um comentário. Parabéns.

    http://elaqueescreve.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Duas vezes? Own *-* fico feliz que tenha gostado Débora <3

      Excluir
  8. Suspirei tanto com esse texto lindo, que nem um comentário digno eu consigo fazer ):

    ResponderExcluir
  9. Sua descrição, os detalhes tudo muito lindo e bem pensado...do nada eu me vi como uma espectadora, e por algum motivo eu imaginei esse texto acontecendo em algum lugar da Inglaterra <3 Amei!
    Beijos

    Imagine Belle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own Babi *-* que lindo seu comentário. Meu pai também pensou a mesma coisa. Fiquei muito feliz em ler seu comentário, de verdade <3

      Excluir
  10. AAAAAAAAAAA, que texto lindo! *-* Dei tantos suspiros aqui... ♥ E essa música? Nossa, amei. combinou certinho com o texto. parabéns!! beijos, http://distanciacerta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. ...e ainda bem que a sua postagem ficou por quase 2 dias abertas em uma das abas no navegador do meu computador, pra que depois com calma eu pudesse ler e conhecer o seu espaço!

    Parabéns pelo texto, sua forma suave e marcante de escrever, gostaria eu ter um pouco dessa inspiração! Enquanto não a adquirimos, nos deliciamos com inspirações únicas como a sua!

    Beijos ^^
    http://viaspensantes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que isso aconteceu Rodrigo, fico feliz que tenha lido o texto e que tenha gostado, e comentários como o seu que nos inspiram sempre um pouco mais. (: Obrigadaa!! <3

      Excluir
  12. Que texto mais lindo, com gostinho de quero mais. Menina quanto talento em uma única pessoa hein?
    Parabéns pela forma singela de organizar as palavras.
    Muito sucesso.
    Beijos.
    www.teusrastros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk' obrigadaa pelo elogio Renata, que bom que gostou do texto *-*

      Excluir

- Comente o que você achou do post, sua opinião é sempre bem-vinda.

- Seu comentário nos meus posts são respondidos na minha página. (:

- Vistou e deixou sua opinião sobre o post? Pode deixar que eu vou lá conhecer o seu cantinho.

- Volte sempre, adoro saber o que você pensa!

 
Meios dias gastos. Online desde 2012. Totalmente desenvolvido por Michelly Melo